IRENE GONZÁLEZ

Sem título, 2018. Desenho sobre papel, 76 x 112 cm. Cortesia: Galería silvestre, Madrid

IRENE GONZÁLEZ

Málaga, Espanha, 1988

Apresentado pela GALERIA SILVESTRE

Nos seus desenhos, há uma predominância do preto e branco e uma clara influência da fotografia vintage – principalmente anónima. É precisamente depois de repensar essas fotografias que ela começa a desenhar. O resultado final deste processo é uma estranheza que cria uma sensação desconfortável e que nos transporta, englobando-nos de uma forma maior do que seria possível com um primeiro olhar superficial.
Há uma característica estilística fundamental que se destaca na sua série: o silêncio. As imagens transmitem quietude, um caos interior e calmo, onde a existência parece estar a flutuar, em espera. “O indivíduo e a recuperação do que foi perdido através da memória são características constantes no meu trabalho.” Nas paisagens e cenas criadas por Irene González, o tempo parece estar suspenso mas nele as coisas estão imperceptivelmente a mudar. Elas são o instante no seu todo.