BRUNO CIDRA

Sem título, 2019. Bronze e papel, dimensões variáveis. Courtesy: Galeria Bruno Múrias

BRUNO CIDRA

Lisboa, Portugal, 1982

GALERIA BRUNO MÚRIAS

O trabalho de Bruno Cidra (Lisboa, 1982) parte da síntese entre Escultura e Desenho. As suas esculturas em bronze e papel exploram a tensão e diálogo das materialidades opostas e valores afectos a cada disciplina, como resistência e fragilidade, peso e leveza, permanência e efemeridade. Tomando o espaço de exposição como espaço de composição, a escultura de Bruno Cidra desenha novos percursos, ritmos e enquadramentos, define novos eixos e referências visuais, regiões de concentração ou dispersão, convidando o espectador ao constante reajuste da sua relação com o espaço.